Pela primeira vez vai ter uma GORDA na Playboy – com gordurinhas e celulite \o/

Quando chegou um e-mail da Playboy, eu dei risada… Não dei risada pelo convite em si, mas porque eu não me vejo – e nunca me vi – como uma mulher sensual e sair assim era impensável para mim. Por acaso, na hora que abri o e-mail estava conversando com a Marcinha, minha amiga de faculdade que também trabalha comigo aqui no blog.

A Marcinha é gordinha, ela não é plus size, mas tem barriguinha, coxas grossas, bracinho gordo, formas arredondadas e já lutou muito contra a balança. Contei pra ela o motivo do riso e ela ficou séria. Não sei por que você achou graça, Ju. Eu fico pensando que se eu tivesse visto uma representação da gorda como uma mulher sexy, em revistas ou em seriados, talvez eu tivesse tido menos problemas com o meu corpo, talvez eu tivesse me sentido mais sensual e mais confiante na hora do sexo, na hora de tirar a roupa e até na frente do espelho…”

A Marcinha me fez repensar. Eu luto há mais de 9 anos para que a mulher não precise da aprovação de ninguém, eu sou feminista a ponto de saber que eu não preciso ser NADA para agradar a homem nenhum, mas eu também luto para que a sociedade olhe a mulher gorda como uma mulher normal, que as pessoas encarem uma mulher gorda da mesma forma que encaram uma mulher magra e um dos meios para conquistar isso se chama REPRESENTATIVIDADE.

É colocar a gorda em revistas, em seriados, em filmes… E não só como a gorda coitadinha ou alívio cômico, é colocar a gorda como uma mulher empoderada, bem sucedida, amada, desejada, confiante e de forma positiva, provando que a gorda não tem que se esconder e que faz parte sim da sociedade, como qualquer outra mulher com qualquer outro formato de corpo.

Pois bem, a edição é toda voltada para internet e a seção se chama MQA: Mulheres Que Amamos, uma seção de entrevista onde os editores da revista chamam mulheres que eles consideram inteligentes, bonitas, sensuais e que têm muito mais que um corpo para oferecer ao mundo, é uma seção de entrevista que apesar das fotos de lingerie, fala sobre o meu trabalho e um pouco também da minha vida pessoal. Achei a seção legal, me senti honrada de ter sido chamada para fazer parte de uma matéria que vai além do corpo gordo.

Mas ainda fiquei preocupada: “eu não sei ser sexy no estilo Playboy” desabafei com a repórter que fez a minha entrevista. Ela me falou, “Ju, queremos que você seja você mesma, com a maior naturalidade possível, como se você estivesse em casa mesmo, do jeito que você fica. Você pode não se ver sexy, mas existem vários tipos de sensualidade  que vão além daquelas fotos fazendo caras e bocas…

No final das contas, nem precisei encarnar uma personagem. Não precisei fazer “a mulher que quer conquistar um homem”, eu apenas estava lá de boas sendo eu mesma. Tiramos algumas fotos do meu celular (pra eu mostrar pra minha mãe e ela não ter um ataque do coração como foi quando eu sai na capa da Elle hua hua hua) e para todas as meninas que mostrei a foto a reação foi a mesma: CARACA QUE LINDA, QUE FODA, AMEI, VAI TER UMA GORDA NA PLAYBOY… Nenhuma se sentiu ofendida, pelo contrário: elas acharam muito legal mostrar que a sensualidade não está só em ter uma calça 36 ou ter peitão (duas coisas que eu definitivamente não tenho) e um corpo fora dos padrões pode ser tão desejado e enaltecido quanto tantos outros.

E quando me mandaram as fotos finais, com quase nada de Photoshop, com as minhas gordurinhas marcando a lingerie, com as minhas celulites aparecendo, eu olhei e pensei: caraca, talvez eu seja sexy e eu só não consiga me enxergar desse jeito porque aprendi desde sempre que eu tinha outras qualidades incríveis, mas que ser sensual não poderia ser uma delas ja que meu corpo não é padrão.

Eu ainda só posso mostrar uma foto que tiramos no dia, porque a revista vai pras bancas dia 25 de outubro, mas vou colocar um comparativo da foto que tirei com o celular e da que tiraram com a câmera profissional pra vocês verem que foi super fiel ao meu corpo e à minha cara, coisa que achei importantíssimo já que o objetivo é mesmo mostrar que a gente pode ser sensual, SIM, do jeitinho que é 

 

♥ Pela primeira vez vai ter uma GORDA na Playboycom gordurinhas e celulite \o/ ♥

Na foto do ensaio:

gorda na playboy

 

Na foto que tiramos do meu celular, sem filtro nem correção de luz:

gorda na playboy 2

 

Enfim, fiquei orgulhosa de ter sido a primeira gorda a sair na Playboy, fiquei feliz de descobrir um lado meu que eu achava que nem existia e fiquei AINDA mais feliz de poder representar todas as gordas que também não se sentem sexy por algum motivo.

Essas fotos são pra vocês meninas, para que vocês nunca duvidem de si mesmas, para que vocês acreditem que podem ser lindas e maravilhosas com o corpo que tiverem.

 

Espero que vocês gostem e como disse a Marcinha depois de ver o resultado das fotos: “Essa vai ser a primeira Playboy que vou deixar meu marido comprar porque EU quero ver!” hua hua hua

 

Até sair a revista (25/10) vou vendo se consigo soltar mais spoilers hehehe Mas me contem o que acharam aqui nos comentários! 

 

HUA HUA

BJÓN

Ju Romano

Uma gordinha, de cílios longos e pernas curtas. Defensora da liberdade de ser quem e como a gente é, sempre com muito amor próprio.

156 Comments
  1. Ela falou em gordas em séries e eu lembrei na hora de Drop Dead Diva, lançada em 2009, a atriz é linda e muito sexy, a série também deixa isso bem claro. Assistam!!

  2. Ju, acompanho seu trabalho e ele me ajudou muito. Até criei um Blog pra falar como é que o o atinjo feio faz para descobrir que é cisne. AMEI QUANDO a notícia que vc vai estar na plano. Sucesso sempre!!!!! Bjs Dani Valle

  3. A luta é árdua (contra a ‘gordofobia’que impera no século 21), mas tem suas vitórias. Parabéns!
    Vamos viver e deixar essa gente chata e careta pra lá. ..😉

  4. Uaau!! Muuuito linda, de verdade, sexy e delicada. Eu sou gordinha sempre fui, e nunca consegui me ver de forma sexy, ir em uma praia sem sentir-me constrangida, comprar roupas comuns justamente pelo padrão que a sociedade impõem. Ler essa matéria agora mexeu comigo, quando uma revista que influencia tanto o pensamento maculino, e também de forma implícita o feminino, toma tal iniciativa isso me torna livre para sair na rua com mais confiança, para acreditar que posso ser linda sem ter que sofrer. Muito obrigada por aceitar, estou ansiosa pela edição!

  5. Ainda bem que alguns paradigmas estão sendo quebrados. Não que as outras capas da Playboy fossem mulheres intangíveis.. Mas o quê é o “padrão de beleza”? É dizer que só um tipo, ou uma forma é “padrão”. Só que existem outros parâmetros para comparação que vinham ficando de fora..

    Acho que “plus size” também é um rótulo desnecessário.. mas.. confesso que, como homem, realista, agradeço ao movimento de elevar o status de beldades nem sempre amplamente divulgadas na mídia.

    Sou um cara “grande” (1,83m, 110Kgs), e sempre gostei das “plus size”… Você é linda. demais. Só falta me dar mole.. 😉

  6. Ju!!! Te acompanho desde quando teu blog entrou na Gloss. Como eu sou tua fã, e como você me mostrou um mundo onde as minhas roupas (e meu modo de ser) vão além do preto. Porque gorda usa cropped, mostra a pele com biquíni… E se encher o saco, vai ter gorda fazendo topless em Ibiza!!!

    Te adoro demais. E tudo o que acontece é mérito da sua luta e de ser essa pessoa gente boa que você sempre foi!

    Parabéns!!!

    Bjãooooo

  7. Como é bom saber que enfim descobriram que ser gordinha,é sinônimo de gente bem resolvida! Que apesar dos quilinhos a mais, não tiram o humor, sensualidade, elegância, simpatia e beleza!! Sim, as gordinhas são as mais bem humoradas e as melhores amantes! Enquanto as madrinhas criticam, tem alguma gordinha sendo feliz!! Não esqueça de colocar se vai ter autógrafos aqui no RJ!! Beijo, sua linda!😂 Como seria delicioso desfrutar da companhia de uma mulher linda como você!

  8. Parece que finalmente as pessoas estão conseguindo entender que “gorda” é somente mais um adjetivo que uma mulher pode ter, além de inúmeros outros. O fato de sermos gordas não significa que não podemos ser bonitas, inteligentes, sexy, interessantes, bem-sucedidas… E você Ju, novamente está provando isso e nos representando lindamente! Parabéns por tudo o que você faz por nós! Te admiro infinitamente!!!

  9. Ju, acompanho seu trabalho há alguns anos e sempre é uma felicidade ver suas vitórias e o quanto elas representam pra todas as mulheres. É com lágrimas nos olhos que comento mais essa conquista, pq é muito isso que você falou, a gente já deixou nossa auto-estima ser influenciada demais por só ver um tipo de corpo ser exaltado, só um tipo de corpo ser considerado desejável e sensual. Já passou da hora de mudar isso e através de você e de outras mulheres com sua coragem e sua vontade de fazer a diferença consigo enxergar uma mudança real. Obrigado por fazer isso por nós!

  10. Amei Ju!Vc é linda Diva.Ju nos representa..também nunca me senti sexy, pois sempre fui gordinha. Ainda mais agora depois de duas gravidez meu corpo mudou totalmente, tenho mais barriga e mais quadril… mas estou aprendendo a me amar novamente mesmo com estrias e celulite! !!

  11. Ate que enfim uma mulher de verdade na revista. Não aquelas com peitos todos iguais, inchados de silicone, pernas cheias de hidrogel, hormônios injetados, corpos comprados… isso é a mulher, com suas belezas e defeitos que as fazer tão lindas, charmosas e atraentes. Por mais mulheres de verdade na revista meu voto é sim.

  12. Caraaaaca meu,muito foda, muito lindaaa. Eu particularmente amo uma gordinha (inclusive até já namorei uma modelo plus size) enfim, o preconceito esta nos olhos de quem vê, gordinha podem sim e podem muito, podem ser sensuais, boas de cama. Bom gordinha é tuudo de bom. Já quero comprar essa revista já!

    1. Você tem noção que está prestes a se transformar??
      Você pode e vai ser a primeira é a mais perfeita mulher de todos os tempos..
      Não poderiam escolher pessoa melhor,sua beleza vem da alma.Começando por sua opinião própria.
      Bonita por dentro e maravilhosa por fora.Eu posso dizer mais ainda.
      “A LENDA DA MULHER BRASILEIRA”
      SUCESSO MULHER….
      Só eu vou comprar umas 10 revistas para presentear amigos que tenho absoluta certeza que vão te admirar..
      Parabéns vai lá e seja um sucesso…

  13. Caraaaamba! Sensacional essa notícia cara! Eu sou yma plus size e SIM me acho mt sexy apesar das gordurinhas, mas eu NUNCA – N.U.N.C.A imaginei que iria ver o meu tipo de corpo na PlayBoy! Parabéns vc é linda e me sinto representada por vc!

  14. Ju vc arrasaaa!!!
    Quando vi essa noticia, parei! Olhei de novo sem acreditar e fiquei tao feliz, tao emocionada que chorei…rsrs
    Vc me representa, vc me ajuda com seu exemplo destemido e ousado. Depois q conheci vc minha vida de gorda mudou, auto estima etc etc.
    Obrigada por tanta autenticidade!
    Bjs

  15. Parabéns juu!
    eu te acho MARAVILHOSAA!!
    Amo seu estilo e seus posts, vc só mostra tudo aquilo que eu acredito. Como gorda acho que sim somos lindas, Gostosas e maravilhosas!

    <3

    bjoos.
    Juh harumi (haha)

  16. Ju, só posso dizer que te admiro pra caramba, pela sua ousadia, pelo seu estilo de ser, por tudo que contribui para que o mundo feminino seja cada mais leve, descontraído e liberto. Parabéns por ter aceitado, sabiamente, o convite da Playboy 👏🏻👏🏻👏🏻

  17. Achei um máximo! Fico extremamente aborrecida com essa exigência e preconceito das pessoas mediante ao corpo ideal. Pra mim ter um corpo já é mais que ideal. Me sinto mto representada por você em estar mostrando que não tem só um rosto lindo num corpo gordo, somos lindas, com corpos compatíveis ao tamanho do nosso charme, espontaneidade, e sensualidade. Farei questão de comprar eu mesma essa revista para guardar como um marco tão importante e representativo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>





©2013-2016 Juromano - Todos os direitos reservados